Representantes dos orgãos de segurança e da população santerezinhense debatem sobre segurança pública

818

Foi realizada na tarde / noite dessa quinta –  feira (8), na Câmara de Vereadores de Santa Terezinha (PB), uma Audiência Pública para discutir a Segurança Pública no município.

Estiveram presentes o capitão Onassis, representando o major Douglas, comandante do 3º Batalhão de Polícia Militar; a delegada de Polícia Civil responsável por Santa Terezinha, Daniela Quirino; a prefeita, Terezinha Lúcia Alves de Oliveira (PSDB); vereadores, secretários, professores e populares.

Após a composição da mesa e a execução do Hino Nacional, o presidente da Câmara, Francisco Bezerra leu algumas manchetes que foram destaques na imprensa local e regional sobre furtos e roubos na região.

O vereador Edcarlos Soares (DEM) autor do requerimento que solicitou a audiência pública, explicou que fez este pedido porque a população está assustada com os roubos e furtos que estão acontecendo. Sugeriu se é possível o toque de recolher na cidade, pediu rondas da Patrulha Rural e pediu se é legal a não obrigatoriedade do uso do capacete para motociclistas na cidade.

A prefeita Terezinha Lúcia concordou que nos últimos anos a violência tem aumentado no município principalmente na zona rural. Citou que as pessoas estão com medo de sair de casa para trabalhar, principalmente os professores que lecionam em escolas na zona rural. Disse que a população precisa fazer a parte dela denunciando, ligando para a polícia. Ela comunicou que o Poder Executivo Municipal está a disposição da população e das forças de segurança para parcerias.

Durante o seu discurso, a delegada Daniela Quirino informou que assumiu o comando de Santa Terezinha há trinta dias e que os crimes são cometidos por elementos de outras localidades com o apoio de pessoas do município. Orientou as vítimas para fazer o Boletim de Ocorrências porque muitos casos não são registrados e dificulta o trabalho de investigação. Relatou que a população deve denunciar indivíduos de atitudes suspeitas que estejam frequentando as localidades e ligar para os números 197 ou 190. Falou que a polícia precisa de informações para as resoluções dos casos.

O capitão Onassis justificou as ausências do major Douglas, comandante do 3º BPM e do comandante do Comando de Policiamento Regional II (CPR – 2), o tenente coronel Cunha Rolim. Sobre a audiência pública disse que a comunidade está no caminho certo, uma sociedade se reunindo em prol de uma causa. Disse que a criminalidade não é apenas em Santa Terezinha, informou que roubos de celulares e motocicletas são constantes, mas a Polícia Militar está trabalhando incansavelmente para diminuir estas ocorrências. O representante da polícia militar pediu aos pais e responsáveis que não deixem os jovens ficar até altas horas nas ruas e não deixem eles conduzirem motocicletas. Enfatizou que Segurança Pública faz com a contribuição de cada cidadão.  Informou que a Polícia Militar tem um programa que atua nas escolas contra as Drogas.

O presidente lamentou a ausência dos conselheiros tutelares na audiência pública. Na sequencia foi aberto a discussão para todos.