Cássio Cunha Lima diz que oposição deve ter nome forte em 2018 e volta a bombardear Michel Temer

799

Após assumir uma postura crítica ao presidente Michel Temer (PMDB), o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), voltou a fazer prognóstico sobre o futuro das oposições na Paraíba. Em entrevista a Rádio Correio FM, Cássio disse que as oposições devem permanecer unidas para as eleições de 2018, em sucessão ao governo do Estado.
O senador disse que o escolhido pelo bloco oposicionista deve ter mais do que um nome, mas carregará durante a campanha toda uma bandeira de luta e propostas visando o bem da Paraíba. Segundo ele, existem bons nomes da aliança feita em 2014 que só serão postos à mesa e discutidos no próximo ano.

Para Cássio, melhor que o nome é preciso se ter um projeto para o Estado e este deve ser o critério para a escolha.

Ele enfatizou que o escolhido pela oposição terá que ter mais do que um nome para disputar o governo do Estado.

“Deverá ter uma proposta para enfrentar o desemprego e os desafios da saúde, educação e segurança pública” disse. No campo das especulações, dois nomes despontam como prováveis candidatos das oposições ao governo do Estado. Estão na disputa, o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PSD), e o prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB).

Na contramão das expectativas dos líderes da base aliada Cássio voltou a bombardear o presidente Michel Temer, e parece que assumiu de vez a postura de oposição ao peemedebista. O senador tucano reafirmou que a Câmara Federal deverá avalizar as investigações contra Michel Temer.

– Acho que com os elementos que estão postos, é difícil imaginar que a Câmara não autorize essa investigação – assinalou.
CCL grifou que “na República, qualquer pessoa pode ser alvo de investigação”.

O ´tucano´, acenou para oposição ao comentar que “ficou difícil de entender como o TSE não puniu a chapa Dilma/Temer”, com provas por ele conceituadas como revestidas de “contundência e robustez tamanhas”.

Severino Lopes / PB Agora