Prefeita diz que saúde será primeiro problema a ser enfrentado pela AMVES

811

A Associação dos Municípios do Vale das Espinharas (AMVES) inaugurou sua sede na noite desta terça-feira 11, em Patos. Localizada na Bossuet Wanderley, 246, 1º andar, próximo à Delegacia de Polícia Civil, será um ponto de apoio para os gestores quando vierem à cidade para cumprir alguma agenda.

A AMVES será, segundo sua presidente e prefeita de São José do Bonfim, Rosalba Gomes Nóbrega, importante instrumento a favor das prefeituras na luta por pleitos junto ao Estado, Governo Federal, em parceria entre eles para fortalecer as administrações municipais e melhorar a vida dos cidadãos.

Disse que um dos primeiros problemas vividos pelas gestões e que será baastante debatido será em relação à saúde. Explica que as consequências pela falta de recursos empregados nessa área traz grande desconforto à sociedade, deixando os gestores em situação complicada para atender a demanda levada pela população, como determinados procedimentos cirurgicos que nem sempre se consegue pelo SUS.

“Vamos conversar e fortalecer o diáogo, ver as demandas que podemos levar ao Governo do Estado, aos deputados, senadores. Com a Associação estam os fortificados para fazer reivindicações. Está no tempo de acreditar, perseverar, conseguir”, comentou Rosalba.

Sobre os prejuízos que os municípios estão sujeitos a enfrentar em decorrência da crise política que o Brasil atravessa, disse ao pbnoticias que ela (crise) interfere diretamente, citando a questão das emendas, desbloqueios de convênios, vai travando, demorando muito mais.

Se mostrou contrária à eleições presidenciais neste momento, sejam diretas, indiretas. Justifica sua opinião, enfatizando que “a democracia é algo muito bom, porém vindo numa hora dessas trará grande atraso aos municípios, que vão sofrer, principalmente os pequenos, que vivem das emendas que recebem para construir, desenvolver programas”, acrescentou.

Já a prefeita de Quixaba, Cláudia Macário, diz que a Associação tem a incubência de tornas os municípios mais fortes, voz mais altiva nas esferas mais elevadas. “Será importante para os gestores trocarem ideias, ouvir sugestões, fazer parcerias, tipo consórcios”, opinou.

Cláudia falou das dificuldades de administrar Quixaba, apontando as baixas parcelas do FPM como fator de incertezas de continuidade das ações. Enfatizou também a questão da saúde, dos entraves decorrentes dos parcos recursos e que os habitantes, quando precisam de um exame, remédio, tratamento específico, não quer saber se o recurso tá vindo ou não, preciso naquela hora. “Estamos fazendo o possível, com dificuldades, para manter os serviços básicos funcionando”, explicou. Ela disse acreditar bastante na parceria entre os municípios e que estes não podem ficar dependentes exclusivamente de das pactuações com Patos.

Participam da AMVES 13 municípios: São José do Bonfim, São José de Espinharas, Malta, Patos, Quixaba, Passagem, Areia de Baraúnas, Cacimba de Areia, Mãe D’Água, Salgadinho, Vista Serrana, Condado e Santa Terezinha. O vice-presidente é o prefeito de Patos, Dinaldo Filho.

PBNotícias