João Azevêdo afirma que alianças para 2022 serão formadas após “definição dos candidatos à presidência”

58
Governador João Azevedo

O governador João Azevêdo (Cidadania), que continua adotando a postura comedida em relação aos assuntos referentes ao próximo pleito, disse, nesta terça-feira (8), que as alianças partidárias para as eleições de 2022 só serão conhecidas de fato após os lançamentos das candidaturas dos nomes à presidência da republica.

“2022 se apresentará com a definição dos candidatos à presidência da república, e partir dai serão construídas as alianças partidárias”, declarou durante entrevista a rádio Pop FM, na tarde de hoje.

João disse ainda que a preço de hoje não há sequer a certeza de como serão as regras eleitorais em 2022, e com isso, não há como não apenas ele, mas todos os líderes políticos deliberarem sobre um nome ou outro, restando apenas aguardar para quando a regras estiverem claras, o momento de anunciar o apoio da gestão e a formação da chapa que irá concorrer o ano que vem.

O governador, que buscará sua reeleger nas próximas eleições, foi questionado sobre como fará para que no tabuleiro de xadrez político não fique faltando nenhuma peça. O gestor alegou que independente das regras, nem todos caberão.

“Caber todos, não caberão, é óbvio você tem uma chapa majoritária com vagas para governador, vice e um candidato ao Senado. Inclusive se levanta até a hipótese se vai poder ter mais um candidato ao Senado, mas nós estamos vivendo um momento que sequer as regras das eleições de 2022 estão postas. Hoje as pessoas estão se colocando, o que é importante até para a população saber quem são esses nomes, mas a decisão ficará para o momento adequado quando tivermos a visão do quadro e pudermos nos dedicar a isso, pois temos que esperar o momento certo e ele vai acontecer quando as regras estiverem claras, coisa que até hoje não estão” destacou o gestor estadual.

O governador também descartou mais uma vez a hipótese de distanciamento político com o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP). No último fim de semana as gestões estadual e municipal travaram uma batalha judicial por causa de decretos com medidas de combate à Covid-19.

“Eu não tenho o menor problema com o prefeito. Temos discutido com relação ao decreto e essa discussão é técnica, normal. Não é o fato do governo ter recorrido do decreto que esteja indicando rompimento. Nossa relação é tranquila. As vezes nossas equipes técnicas divergem, mas isso pode acontecer em qualquer gestão”, disse.

João Azevêdo lembrou, ainda, a participação do vice-prefeito Leo Bezerra, que integra os quadros do Cidadania, na gestão. “O meu partido participa da gestão de João Pessoa com o vice-prefeito Leo Bezerra, um vice extremamente atuante, faz um trabalho eficiente”, ressaltou.

Wscom