Veneziano diz que há 7 meses não conversa com João e que aguarda diálogo para tomar decisão com partido sobre o futuro do MDB

107

O senador Veneziano Vital do Rêgo, presidente do MDB na Paraíba, falou nesta sexta-feira (26), sobre o futuro da legenda no estado e a possibilidade da formação de chapa majoritária pelo partido nas eleições de 2022. O parlamentar também fez declarações delicadas em relação ao governador João Azevêdo (Cidadania) e lamentou a falta de contato com o gestor estadual há mais de sete meses.

“Eu não tive mais contato com o governador. Faz sete meses que o governador por conta da agenda administrativa não teve ainda a oportunidade de voltar a ter um contato conosco. Então sobre arranjos políticos, discussões políticas, não tenho muito a dizer no diga respeito à formação majoritária”, disse entrevista a rádio Correio 98 FM.

Além das queixas pela falta de diálogo com o chefe do Executivo estadual, Veneziano foi além, e levou a entender que o governo tem usado de sua estrutura para construir realidades que não são verdadeiras.

“Me recolhi nos últimos quatro meses para que não fosse gerado, até em razão de que os meus instrumentos de comunicação não se comparam a outros instrumentos que são utilizados, por vezes manipulados, para constituir realidades não verazes. Fiquemos nós recolhidos as nossas obrigações que não são poucas no senador federal”, disse o parlamentar.

Veneziano disse ainda que não descarta concorrer ao governo em 2022, mas que só ira tomar uma decisão após conversar com o governador. Segundo o senador, a decisão dentro do partido não é unilateral, no entanto ele aguarda o diálogo com o gestor estadual para que não seja futuramente acusado de deslealdade.

“Fui o primeiro agente político a tratar sobre o assunto em relação ao governo do estado. Então ninguém vai apontar para mim e dizer que fui incorreto, que fui desleal, que faltei com o projeto. Veneziano está ouvindo primeiro o MDB, porque essa decisão não é unilateral, e pondo-me a disposição para esta conversa. No instante em que o MDB for chamado para essas conversas, o MDB não fechará as portas”, enfatizou o senador.

Wscom