UFPB pretende reunir os 223 prefeitos da Paraíba em evento inédito para apresentar potencialidades de parcerias

57

Como potencializar o turismo, alternativas energéticas para o homem do campo, educação a distância, fortalecimento dos arranjos produtivos e caminhos para a internacionalização, essas são algumas soluções que a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) pretende apresentar aos 223 prefeitos dos municípios paraibanos, além de deputados federais e estaduais, e senadores, no próximo dia 17 de junho, em evento pensado para demonstrar as potencialidades da UFPB no apoio a possíveis demandas ou necessidades dos municípios.

Com o intuito de reforçar sua missão institucional de contribuir com o desenvolvimento do estado da Paraíba, a instituição realiza o evento intitulado “UFPB e o desenvolvimento paraibano: Ações integradas com municípios”, que contará com um dia inteiro de programação, das 8h30 às 17h30.

No período da manhã, no auditório da Reitoria, serão apresentados aos gestores municipais e representantes políticos projetos desenvolvidos ou que podem ser realizados junto aos municípios pelo Instituto UFPB de Desenvolvimento da Paraíba (Idep), Agência UFPB de Cooperação Internacional (ACI), Agência UFPB de Inovação Tecnológica (Inova), Superintendência de Educação à Distância (Sead), Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e Laboratório de Fabricação Digital (FabLab).

A Pró-Reitoria de Extensão (Proex), por exemplo, apresentará os editais de extensão PROBEX e UFPB no seu Município, os quais, juntos, ofertam este ano 823 bolsas de extensão e possibilitam a atuação de docentes, técnicos administrativos e alunos na realização de ações identificadas com as necessidades e as demandas da sociedade paraibana, para promoção de desenvolvimento a partir de um trabalho conjunto com as comunidades e grupos envolvidos. O programa UFPB no seu Município, inclusive, busca contribuir com o fortalecimento de políticas públicas e promover o desenvolvimento regional sustentável, visando o fortalecimento das comunidades para a melhoria da qualidade de vida da população.

Após a apresentação das formas de contribuições que a UFPB pode prestar aos municípios, o período vespertino do evento será dedicado à prospecção de projetos e parcerias que possam ser implementados entre a Universidade e os municípios. O espaço, que funcionará na sala da Secretaria dos Órgãos Deliberativos da Administração Superior (Sods/UFPB), localizada na Reitoria, estará dividido em quatro ambientes – distribuídos entre Idep, Proex, Inova e ACI – para realização de reuniões com o objetivo de firmar as parcerias entre as prefeituras e a Universidade, para o desenvolvimento de projetos em colaboração.

De acordo com o Reitor da UFPB, Prof. Valdiney Gouveia, no evento haverá mesas de discussão a fim de possibilitar as parcerias para potencializar os municípios. “Esse é o primeiro evento, nesse contexto, que a UFPB faz, precisamente, por entender que o papel de uma instituição pública federal de ensino – mas não só, de pesquisa e de extensão -, é se comunicar com os municípios, desenvolver o Estado. É nesse sentido que nós pensamos a ‘UFPB e o desenvolvimento paraibano: Ações integradas com municípios’, um evento único, procurando reunir, ou, pelo menos, convidando todos os prefeitos dos 223 municípios, além dos nossos parlamentares, deputados estaduais, federais e senadores, estão todos convidados para que possamos discutir e apresentar o potencial que tem a UFPB para desenvolver municípios e o Estado como um todo”, explicou o Reitor.

Potencialidades

O Professor Euler Macêdo, Diretor do Centro de Energias Alternativas e Renováveis (Cear) e coordenador do Laboratório de Fabricação Digital (FabLab), explica que o laboratório multidisciplinar e multiusuário de prototipagem tem como uma das finalidades a prestação de serviço à UFPB e à comunidade, e exemplifica uma das possibilidades de atuação do laboratório em apoio aos municípios.

“É possível, sim, fazer o desenvolvimento de tecnologias como, por exemplo, a aquaponia e outras voltadas para a agricultura, a utilização de sistemas de energia solar para otimização, também, de agricultura, ou outras aplicações que tenham no município. O FabLab é muito multidisciplinar, então, vai depender realmente da demanda do município, das possibilidades de interesse e inovação que eles tenham”, esclareceu o docente.

Segundo a Presidente do Idep, Profa Maria de Fátima Agra, no evento cada um dos laboratórios apresentará o potencial para apoiar o desenvolvimento sustentável da Paraíba, em especial dos pequenos municípios, considerando os arranjos produtivos de interesse e as necessidades das comunidades. O Laboratório de Tecnologia de Solos e Produtos de Origem Vegetal e Animal, localizado no município de Areia, é um dos exemplos de onde os pequenos produtores podem buscar apoio para a realização de análise do solo, etapa essencial para se conhecer o grau de fertilidade de determinada área.

Outro exemplo é a atuação do Laboratório de Proteômica Industrial na realização de projetos ligados ao leite caprino e mandiocultura, bem como o apoio que outros laboratórios do Idep podem prestar na área de energias renováveis, como na implantação de painéis solares para a fruticultura do Estado.

Na área do Ensino, a Superintendência de Educação à Distância (Sead) oferece apoio pedagógico e tecnológico para as ações voltadas ao ensino-aprendizagem a distância. A Superintendente Raíssa Dalia Paulino acredita que, com essa missão, a Sead tem muito potencial para contribuir com os municípios da Paraíba. “Diante da compreensão de que o desenvolvimento municipal se refere à melhoria na qualidade de vida das pessoas do município, com base na equidade social, nas questões ambientais e culturais”, disse a gestora.

Ela visualiza a possibilidade de parcerias para disponibilização do ambiente virtual de aprendizagem (MOODLE) seguro e acessível; assessoria na viabilização das propostas pedagógicas no que se refere aos cursos de Educação Aberta e a Distância; desenvolvimento de material instrucional para apoiar as ações de Educação Aberta e a Distância, bem como implementação de soluções técnicas capazes de instruir os professores dos municípios paraibanos no uso das tecnologias, dentre outras ações.

A internacionalização também será apresentada como proposta viável para promover o desenvolvimento regional. Os gestores municipais e políticos que participarem do evento poderão conhecer a atuação da Agência UFPB de Cooperação Internacional (ACI), um hub de conexão entre pesquisadores da UFPB e do exterior, para a captação de projetos de valor e ações coordenadas com alvo no desenvolvimento regional.

O Professor Sandro Marden, Presidente da ACI, explica que a agência pode realizar a promoção internacional de ações em conjunto com os municípios que contarem com a parceria da UFPB e, consequentemente, atrair investimentos estrangeiros para as áreas estratégicas elencadas nos municípios. “A ACI atua também como articulador para viabilizar o desenvolvimento de projetos tecnológicos com a finalidade de criar painéis analíticos para vetores estratégicos para o país, tais como as vertentes econômica e cultural, como artesanato, turismo e comércio exterior, por exemplo”.

Outra vertente de atuação da ACI é a promoção da integração de estrangeiros em ações sociais da Paraíba que visem a capacitação de pessoas e a ampliação da experiência acadêmica integrada, possibilitando, por exemplo, intercâmbio de práticas exitosas de instituições de ensino no exterior para replicação nos municípios paraibanos, com mobilidade entre docentes e estudantes em diferentes instituições ao redor do mundo.

A agência atua, ainda, para potencializar a realização de estudos estratégicos e fornecer consultoria sobre projetos e montagem de organismos de internacionalização municipais dos quais a UFPB faça parte. Nos âmbitos da Pós-Graduação e Pesquisa, a ACI atua também na intermediação para a criação de cursos de capacitação de agentes públicos municipais em línguas estrangeiras e em temáticas estratégicas, especialmente para profissionais das áreas de turismo, hotelaria e comércio exterior; além de formar clusters de pesquisa, desenvolvimento e inovação na UFPB voltados à melhoria de qualidade de vida nos municípios como planejamento urbano, agroindústria, smart cities e saúde, que tenham organizações estrangeiras como fonte de recursos.

A Agência UFPB de Inovação Tecnológica (Inova) trabalha com atividades como incubação de empresas de base tecnológica; propriedade intelectual; e transferência e licenciamento de tecnologias mantidas pela UFPB. De acordo com o Coordenador de Incubação Empresarial de Base Tecnológica da Inova, Raimundo Aprígio, com o intuito de alavancar a vocação empreendedora, social e sustentável da Paraíba, a Inova apresentará aos gestores municipais presentes os meios para a realização de convênio para consultoria de implantação de Centros de Inovação.

Laboratórios

Saiba quais são os 11 laboratórios vinculados ao Instituto UFPB para o Desenvolvimento da Paraíba (Idep), distribuídos pelos campi da UFPB: Laboratório de Bioquímica Genética e Radiobiologia, Laboratório de Proteômica Estrutural, Laboratório de Farmacologia e Aplicações de Produtos Bioativos, Laboratório de Tecnologia de Solos e Produtos de Origem Vegetal e Animal, Laboratório de Tecnologia de Novos Materiais, Laboratório de Tecnologia e Processamento de Biocombustíveis, Laboratório de Produção Agropecuária, Laboratório de Eficiência Energética, Laboratório de Química de Peptídeos e Proteínas (LQPP), Laboratório de Engenharia de Sistemas e Robótica (LASER), Laboratório de Computação Científica e de Alto Desempenho (LACCAD).

Esses laboratórios dedicam-se a pesquisas em áreas que vão desde estudo dos solos e produtos vegetais e animais, até combustível verde, energias renováveis e robótica.

Os convites estão sendo enviados. Os municípios e parlamentares podem entrar em contato pelo e-mail: cerimonial@reitoria.ufpb.br ou pelo telefone: (83) 3216 7705.

Ascom – UFPB