Efraim Filho diz que ganhou mais apoios após deixar a base do governador e se aliar a Pedro Cunha Lima

57

“Quem disse que eu queimei a largada, queimou a língua”, disparou o candidato a senador Efraim Filho (União Brasil), nesta segunda-feira (29), durante entrevista ao programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM. Como acompanhou o ClickPB, o deputado se referiu ao número de apoios de prefeitos que aumentou após deixar a base aliada do governador João Azevêdo (PSB) e se aliar ao adversário Pedro Cunha Lima (PSDB).

“Antes de deixar a base de João Azevêdo tínhamos 102 prefeitos apoiando e agora contamos com 136 gestores acompanhando nossa candidatura”, disse, ao comemorar os últimos apoios que vem recebendo, a exemplo, “os vereadores Dinho Dowsley, presidente da Câmara Municipal de João Pessoa e Bruno Farias, líder do prefeito Cícero Lucena na Casa”, ressaltou.

Ele destacou que apesar de algumas perdas, o saldo é positivo, pois ganhou novos apoios. “Temos crescido e aumentado de apoios. A coragem que tive em enfrentar o desapego ao poder, disputando pela oposição, acabou ajudando, pois mostra que não dependo de governo para buscar meus sonhos. O governador teve seu direito de fazer sua escolha, que não foi por mim, e eu busquei trilhar o meu caminho”, reforçou.

Efraim Filho lembrou que quando tomou a decisão de sair do apoio ao governador foi criticado, mas que a decisão foi a melhor que podia ter tomado. “Quem disse que eu queimei a largada, queimou a língua. Quem coloca o pé na estrada, antes de todo mundo, vai se cansar, era isso que diziam. E hoje, eu colho os frutos da minha coragem”, disse.

Ele também considerou as chances de ter um adversário a menos na disputa ao se referir a situação judicial do candidato Ricardo Coutinho. “A Justiça é que vai decidir o que será de Ricardo Coutinho, tanto que ele tem insistido em buscar uma liminar para poder ser candidato. Eu estou preparado para enfrentá-lo e derrotá-lo”, destacou.

Clickpb