“João teve 12 anos para fazer o que promete e não fez”, diz Pedro ao defender investimentos na saúde

77

Para cuidar dos paraibanos é essencial melhorar a infraestrutura dos hospitais públicos e fortalecer os hospitais filantrópicos. Foi o que defendeu o candidato ao Governo da Paraíba, Pedro Cunha Lima, no debate promovido pela TV Arapuan nesta segunda-feira (17). Na ocasião, Pedro assumiu o compromisso de fazer uma gestão com mais sensibilidade e eficiência, garantindo uma gestão que invista de verdade e não fique só de promessas, como o atual governo.

“João teve 12 anos pra fazer o que promete e não fez. Falta agilidade e senso de urgência. Quem está terminando um mandato tem que mostrar o que foi feito e não o que vai fazer. João fala que tem convênios com os hospitais filantrópicos, mas não fala que o valor do repasse é pequeno. O Hospital da FAP, em Campina, atende 95 mil pacientes por ano e recebe do Governo do Estado apenas R$ 300 mil por mês. É muito pouco, principalmente porque este governo gasta mais de R$ 200 milhões com aluguel de carro. Tem que fazer um corte nesse gasto e aumentar o valor para o hospital da FAP, que tem capacidade de atender 120 mil pacientes por ano”, defendeu.

Pedro garantiu que vai criar o programa Cuidar de Quem Cuida para fortalecer hospitais que prestam importante serviço à população. “Vamos botar para funcionar o que já existe, com o programa ‘Cuidar de Quem Cuida’, para estimular e apoiar de fato esses hospitais. O São Vicente de Paulo, que é a maior central de hemodiálise da Paraíba, recebe de ajuda do governo apenas R$ 1,2 milhão por ano, que é o valor da feira da Granja Santana, a casa oficial do governador”, destacou Pedro, assumindo o compromisso de garantir uma nova forma de governar o Estado.

“Quero trazer uma nova mentalidade para a administração estadual, provocar mudanças profundas para garantir mais resultados e eficiência. Vamos fortalecer a saúde, melhorar a infraestrutura dos hospitais públicos. Na Paraíba tem secretário andando com carro de luxo, enquanto as pessoas passam fome. No hospital de Guarabira falta lençol, os pacientes têm que dividir soro. Isso tem que mudar. Vamos acabar com essas regalias e fortalecer a saúde do Estado, porque o paraibano e a paraibana desejam e merecem mais cuidados”.

Assessoria